Ética na Pesquisa – diretrizes do CNPq

Tem uma piadinha leviana que sempre rola na internet que diz que “roubar de uma pessoa é plágio, roubar de várias é pesquisa”. Se você acredita e pratica isso, cuidado para que o escândalo não bata a sua porta. A pesquisa científica requer uma ética e a questão das referências são muito importantes, além, é claro, que a contribuição do autor deve ser expressa de maneira legítima.

Recentemente, o CNPq publicou as diretrizes da pesquisa ética da Comissão de Integridade de Pesquisa dessa agência de pesquisa científica e tecnologica, que são mostradas a seguir:

Diretrizes

1: O autor deve sempre dar crédito a todas as fontes que fundamentam diretamente seu trabalho.

2: Toda citação in verbis de outro autor deve ser colocada entre aspas.

3: Quando se resume um texto alheio, o autor deve procurar reproduzir o significado exato das ideias ou fatos apresentados pelo autor original, que deve ser citado.

4: Quando em dúvida se um conceito ou fato é de conhecimento comum, não se deve deixar de fazer as citações adequadas.

5: Quando se submete um manuscrito para publicação contendo informações, conclusões ou dados que já foram disseminados de forma significativa (p.ex. apresentado em conferência, divulgado na internet), o autor deve indicar claramente aos editores e leitores a existência da divulgação prévia da informação.

6: se os resultados de um estudo único complexo podem ser apresentados como um todo coesivo, não é considerado ético que eles sejam fragmentados em manuscritos individuais.

7: Para evitar qualquer caracterização de autoplágio, o uso de textos e trabalhos anteriores do próprio autor deve ser assinalado, com as devidas referências e citações.

8: O autor deve assegurar-se da correção de cada citação e que cada citação na bibliografia corresponda a uma citação no texto do manuscrito. O autor deve dar crédito também aos autores que primeiro relataram a observação ou ideia que está sendo apresentada.

9: Quando estiver descrevendo o trabalho de outros, o autor não deve confiar em resumo secundário desse trabalho, o que pode levar a uma descrição falha do trabalho citado. Sempre que possível consultar a literatura original.

10: Se um autor tiver necessidade de citar uma fonte secundária (p.ex. uma revisão) para descrever o conteúdo de uma fonte primária (p. ex. um artigo empírico de um periódico), ele deve certificar-se da sua correção e sempre indicar a fonte original da informação que está sendo relatada.

11: A inclusão intencional de referências de relevância questionável com a finalidade de manipular fatores de impacto ou aumentar a probabilidade de aceitação do manuscrito é prática eticamente inaceitável.

12: Quando for necessário utilizar informações de outra fonte, o autor deve escrever de tal modo que fique claro aos leitores quais ideias são suas e quais são oriundas das fontes consultadas.

13: O autor tem a responsabilidade ética de relatar evidências que contrariem seu ponto de vista, sempre que existirem. Ademais, as evidências usadas em apoio a suas posições devem ser metodologicamente sólidas. Quando for necessário recorrer a estudos que apresentem deficiências metodológicas, estatísticas ou outras, tais defeitos devem ser claramente apontados aos leitores.

14: O autor tem a obrigação ética de relatar todos os aspectos do estudo que possam ser importantes para a reprodutibilidade independente de sua pesquisa.

15: Qualquer alteração dos resultados iniciais obtidos, como a eliminação de discrepâncias ou o uso de métodos estatísticos alternativos, deve ser claramente descrita junto com uma justificativa racional para o emprego de tais procedimentos.

16: A inclusão de autores no manuscrito deve ser discutida antes de começar a colaboração e deve se fundamentar em orientações já estabelecidas, tais como as do International Committee of Medical Journal Editors.

17: Somente as pessoas que emprestaram contribuição significativa ao trabalho merecem autoria em um manuscrito. Por contribuição significativa entende-se realização de experimentos, participação na elaboração do planejamento experimental, análise de resultados ou elaboração do corpo do manuscrito. Empréstimo de equipamentos, obtenção de financiamento ou supervisão geral, por si só não justificam a inclusão de novos autores, que devem ser objeto de agradecimento.

18: A colaboração entre docentes e estudantes deve seguir os mesmos critérios. Os supervisores devem cuidar para que não se incluam na autoria estudantes com pequena ou nenhuma contribuição nem excluir aqueles que efetivamente participaram do trabalho. Autoria fantasma em Ciência é eticamente inaceitável.

19: Todos os autores de um trabalho são responsáveis pela veracidade e idoneidade do trabalho, cabendo ao primeiro autor e ao autor correspondente responsabilidade integral, e aos demais autores responsabilidade pelas suas contribuições individuais.

20: Os autores devem ser capazes de descrever, quando solicitados, a sua contribuição pessoal ao trabalho.

21: Todo trabalho de pesquisa deve ser conduzido dentro de padrões éticos na sua execução, seja com animais ou com seres humanos.

ACTA 2011 – Semana de Arte, Cultura, Ciência e Tecnologia da UFBA

A ACTA 2011 – Semana de Arte, Cultura, Ciência e Tecnologia da UFBA ocontece de 7 a 11 de novembro para apresentar à população baiana as diversas formas de produção de conhecimento da universidade, através da sua produção científica, cultural e artística.

O evento tem um aspecto multidisciplinar e reune diversos eventos na sua programação, com destaque para o XXX SEMEP – XXX Seminário Estudantil de Pesquisa e o X SEMPPG – X Seminário de Pesquisa e Pós-Graduação, além de outros seminários, oficinas, cursos e palestras.

O evento foi idealizado pelo Conselho Superior de Ensino, Pesquisa e Extensão (CONSEPE) da UFBA e pretende reunir professores, discentes e técnicos administrativos.

Eu apresentarei um trabalho que venho desenvolvendo sobre a comunidade software livre com o enfoque da Teoria Ator-Rede de Bruno Latour no X SEMPPG, na quarta a tarde. Mas em breve, espero apresentar uma publicação mais elaborada a este respeito.

Para mais informações, acesse o site http://www.acta.ufba.br/.

Site do GITS/UFBA: as apropriações dos usuários nos sites de redes sociais

GITS UFBAGostaria de lembrar que eu também tenho colaborado com textos no site do Grupo de Pesquisa em Interações, Tecnologias Digitais e Sociedade (GITS/UFBA) do Programa de Pós-Graduação em Comunicação e Cultura Contemporâneas – PPGCCC/FACOM/UFBA (PósCom/UFBA).

Aproveitando o lembrete, convido vocês a lerem o post “Apropriações em sites de redes sociais – Esta pessoa no Facebook” que apresenta parte de minhas questões de interesse dentro do campo da cibercultura e dos sites de redes sociais: usos imprevistos e apropriações das plataformas online por seus usuários.

Defesa de Tese na UFBA aborda o Software Livre e seu caráter emancipatório

A pesquisadora Teresinha Quadros do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais da UFBA defenderá a sua tese de douorado nesta quarta, dia 28 de serembro de 2011, às 14h em São Lázaro/Salvador-BA.

A tese é intitulada “Software Livre: expressão da formação de uma consciência de caráter emancipatório” e foi orientada pelo Prof. Dr. Antônio Câmara. Na banca, estarão professores da UFBA, UFSE e da Unicamp.

 

Convite_Teresinha_Quadros

 

Desejo boa sorte e sucesso!

TEDxPelourinho – simplifique a sua vida

O TEDxPelourinho ocorreu hoje, dia 17 de setembro de 2011, na Antiga Escola de Medicina, Salvador-BA. Este foi o primeiro TEDx do Nordeste.

O evento teve como objetivo espalhar idéias simples que podem modificar o mundo. Foram histórias de vida; projetos de cinema, fotografia, designer; relato de inventos; lições, reflexões, dicas.

Duas histórias me comoveram mais que as outras. A primeira foi a da para-atleta Verônica Almeida, medalhista de ouro em Pequim, sobrevivente há 4 anos de uma previsão médica que desestruturaria a muitos, mas que lhe deu ainda mais forças para viver. A segunda foi a da diretora de cinema Cecília Amado e a sua ação junto a garotos de Ongs de Salvador para a escolha do elenco de Capitães de Areia. Cecília contou como o sonho desses garotos, que por vezes esquecemos que são crianças, é bem simples: querem visibilidade. Essa história me comoveu mais, pois é uma realidade do nosso dia a dia.

A Isabel Gouvêa, fotógrafa, apresentou projetos sobre designer no cotidiano de Salvador através de vídeo e fotografias, desenvolvidos por jovens da ONG Cipó (http://www.cipo.org.br/). O material apresentado contou sobre a cultura dos carrinhos de café, bicicletas utilitárias, placas, latas de tapoca, etc. A fotógrafa também lembrou da importancia da cultura na formação educacional dos jovens e criticou a falta de projetos em conjunto do MINC e do MEC.

O Prof. de Belas Artes/UFBA Taygoara Aguiar falou sobre racismo. Sobre a relação com os cabelos afros lembrou que os cabelos crespos não é um cabelo “ruim”, o que são ruins são os valores! Ele divulgou o projeto Tererês . Algo da sua fala que para mim foi o diferencial é que ele avisa que independente de se usar os cabelos lisos ou crespos, o importante é se sentir bem. (nota: ainda escreverei sobre esse assunto).

Aroldo contou a história da invenção do pau elétrico e da guitarra baiana por http://armandinhododoeosmar.com.br/, cantou, tocou e agitou a platéia. Também apresentou o projeto http://www.escoladeguitarrabaiana.com.br/.

Muitas outras histórias foram contadas neste evento, que com certeza ajudou a formar outros multiplicadores e idéias que podem simplificar as nossas vidas. Fica aí os meus parabéns a toda a organização e em especial ao meu amigo Valéssio Brito. Que outros eventos como esse aconteçam por Salvador e por ai a fora 🙂